expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

domingo, 22 de janeiro de 2017

Queria que houvesse um amanhã

Queria que houvesse um amanhã


     Foto; Daniel Carvalho Gonçalves


Queria que, por toda a eternidade,
Em cada minuto que passasse,
Você me dissesse: - "amo você."

Queria que inexistissem o não,
O nunca mais ou o adeus,
Só para ter você sempre juntinho de mim.

Queria que, por um tempo sem fim,
O orvalho suave da madrugada,
Cada gota que caísse,
Repetisse baixinho em meu sonho:
- " Te amo."

Queria que não houvesse o impossível,
Que um grande amor, de fato, tudo pudesse,
Só para lhe dar tudo o que merece.

Queria que não existissem lágrimas tristes,
Que em tudo houvesse uma razão para sorrir,
Mesmo que fosse eu a piada,
Ah!, eu queria lhe fazer sorrir sempre.

Queria que, na corrida do tempo,
Ao olhar para o ontem já quase apagado pelo vento,
Eu pudesse dizer:
- " Eu amei de verdade."


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 13 de agosto de 1992
Abraço!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

O meu mundo sem você

O meu mundo sem você


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Se eu lhe perdesse algum dia,
Eu ainda saberia sorrir,
Mas seria um sorriso amargo,
Como o sorriso de quem
Pressente a própria morte.

Sem você haveria flores,
Mas elas não seriam tão lindas,
Não teriam tão gostoso perfume,
Seriam tristes e sombrejantes cores
Em meu jardim outrora tão belo.

Haveria, ainda, muitas canções
Se eu lhe perdesse algum dia,
Mas suas rimas seriam lúgubres,
E se perderiam, disformes,
No desespero de minha amante alma poeta.

Sem você, brilhariam meus olhos - 
Um prelúdio de lágrima.

Meus gestos, antes tão cheios de vida,
Seriam patéticos;
Minhas palavras seriam consumidas pelo silêncio;
Todo o meu mundo seria uma lembrança cruel
de um sonho que se perdeu sem você.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 13 de setembro de 1993
Abraço!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Olhos da fé

Olhos da fé


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Eu vi o mundo sem lágrimas tristes,
A vida sem o abraço da morte;
Vi os homens imortais,
Sem a futilidade da guerra.

Ah! Eu vi todos se abraçando como irmãos,
Sorrindo o lindo sorriso da cumplicidade;
ouvi as canções falando do amor
Intenso e verdadeiro,
E senti meu coração pulsar célere
Ante nobreza tão pura.

Eu vi o mundo sem pobres,
Onde todos eram iguais,
Onde a nobreza maior era a de espírito.

Eu vi o mundo onde todos eram fortes,
Sem fome, sem enfermidades,
Sem sofrimento.

Eu vi um mundo onde havia um só Deus
E pessoas felizes que o adoravam;
Vi o mundo sem religiões.

Eu vi os homens e os animais
Brincando, inocentes, em paz.
Eu me vi neste paraíso
Que surgiu da possibilidade da minha fé.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 29 de outubro de 1993
Abraço!

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

À musa que não me percebe

À musa que não me percebe


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Arde um sol de mistério em teu olhar
Tal como nos olhos de ninguém se faz notar,
Me inflamando a quimera qual magia,
Como se tivesses na alma a poesia
Que esse louco poeta não sabe rimar.

Como amo teu sorriso irreverente,
Riso de mulher que sabe ser diferente.
Tu, de especial, passas a ser divina.

Tens em tua pele o olor do pecado,
Pele morena, tu sabes bem ser meu fado,
Me envolver em tua aura feminina.

Então, pergunto se não sou pretensioso
Ao te pedir um pedaço do teu coração.
E lágrimas dolentes molham o meu rosto
Ao notarem que te amo com tanta paixão.

Deixo, nestas pautas insignificantes,
O eco do meu coração por ti pulsante:
- "Deixa-me ser teu por qualquer instante."


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 06 de agosto de 1995
Abraço!