expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Enigma

Enigma


  Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Vida de poeta
É loucura explícita:
É sonho que sonha com outros sonhos,
Vive a realidade sem viver
E sonha que seus sonhos não são sonhos.

Ser poeta é exagerar na cor,
É sentir o que ninguém sente,
Entender o que os outros não entendem,
Ser o mais frágil dos homens
E o mais robusto dos gigantes.

Vida de poeta é doçura evidente,
É ternura que não se finda,
É civilização capaz de ser selvagem,
Extravasando sensibilidade.

Ser poeta é ser simples,
É não entender o que escreve,
É não saber porquê ama,
É escrever o que sente,
Amar porque ama,
Viver porque vive,
É ser o que é porque é do jeito que é.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 03 de maio de 1992
Abraço!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Somente teu

Somente teu


   Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Diáfano regato de divino encanto,
O teu murmurar me parece um canto,
E tuas águas, em meu agreste desejo,

Mata minha sede de tão seleto prazer.
Ai! de outra fonte nunca hei de beber,
Pois, nunca me refrescará qualquer outro beijo.

O teu olor tem um dulçor primaveril,
Ante o qual a mais breve rosa parece vil,
Fazendo emudecer os versos deste poema.

Ora! Qualquer palavra soa profana,
As rimas do homem que tanto te ama
Nada são ante tão excelsa fêmea.

Quero molhar meu corpo nas tuas águas,
Afogar-me nas curvas dos teus segredos,
Adorar-te, mulher, deusa, linda e nua,
Pois, de ser teu já não tenho mais medo.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 13 de janeiro de 1999
Abraço!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Soneto a um anjo cego

Soneto a um anjo cego


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Tenho no coração um poema,
Reverente como uma oração:
Meu amor pela mais encantadora fêmea,
Fogo de exclusiva dedicação.

É um não esquecer o seu sorriso,
Não querer o abraço de mais ninguém,
Ter em seu beijo o paraíso,
Em meu sentimento, o mais precioso bem.

Essa mulher linda, de divina essência,
Ignora o poder do seu encanto.
Será que ela se vê num espelho de inocência?

Ah! Se ela acreditasse nesse meu canto,
Na razão de toda a minha insistência,
Se veria bela, melodia de doce arranjo.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 04 de dezembro de 1997
Abraço!

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Insone

Insone


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Quando o sono não chega,
E as palavras se contorcem
Em busca de luz
Para acalmar o pensamento,
Algo que explique brevemente
O que a noite povoa de silêncio
E a alma grita em confusos sentimentos.

Porque o amor é assim:
A paz do abraço de uma criança,
A tempestade provocando medo,
A noite que esconde segredos,
O amanhecer óbvio e esperado.

Porque a saudade é um vazio
Da presença de algo ou alguém
Que já não cabe por dentro,
E o peito transborda
Em poemas,
Em canções,
Em misteriosos versos
Que talvez não se percebam
Tão doloridos.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 31 de março de 2017
Abraço!

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Segredo

Segredo


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


A mulher é uma deliciosa incógnita,
É um mistério que embriaga,
Que enlouquece.

A mulher é flor delicada,
É perfume em cada pétala,
É encanto no calor da pele.

Mas é raio e vento
Em dia de tempestade,
Tirando o sono,
Fazendo medo.

A mulher é anjo malvado,
Sorrindo quando faz doer.
É um demônio inocente,
Dona de gestos sublimes.
É a incerteza de qual dos dois
Brilha no seu olhar.

Porque a mulher é um código
Que poucos conseguem decifrar.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 31 de março de 2017
Abraço!