expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

A torre

A torre


  Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Vi que tu invadias meus poemas
Como se fosses malicioso vento,
Como se fosses mística fêmea,
Domando meu agreste sentimento.

Vi que vencias meu valente escudo
Como se fosses uma cheia de rio,
Indomável, subjugando tudo,
Fúria de tempestade em pleno cio.

Nada fiz, exceto ter medo.
Me entreguei, te doei meus segredos,
Nem sequer ofereci resistência,

Pois, te amar é não me pertencer,
É, vencido, ser feliz por perder,
É desejar-te com a força de minha inocência.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 27 de setembro de 1999
Abraço!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Fidelidade

Fidelidade


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Olhar-me no mais fiel espelho
E mirar meu pior inimigo,
Revelar meu maior segredo,
Sem conhecer a face do perigo.

A personalidade é inexplicável:
É fogo, jogo, febre e pecado;
É santidade, inocência, amável
Tirana blefando seu próprio fado.

Olhar-me e sair vitorioso,
Aceitar-me como sou, imperfeito,
Sabendo que o homem poderoso
É aquele que vence seus defeitos.

Mirar toda a minha fragilidade,
Meu pranto, meu riso, meu dom qualquer,
Acima de tudo, minha verdade
De ser enamorado de tu, mulher.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 12 de março de 2000
Abraço!