expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Quando estiver distante

Quando estiver distante


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Quero que lembres de mim
Como alguém que te fez sorrir,
Ou como alguém que se fez chorar
Quando precisavas duma lágrima cúmplice.

Quero que te lembres de mim
Como a refrescante sombra amiga
Num cálido dia de verão,
Quando muito poucos notaram
Teu rosto cansado
Pelas intempéries da vida.

Quero que te lembres de mim
Com todos os meus defeitos
(Eu não fui santo),
Com tudo o que fiz de errado.

Mas que te lembres também
Do amor pulsante em meu peito,
Tantas vezes oculto em meus olhos.

Me lembres como criança carente do teu afeto,
Como adulto calculista, capaz de mudar os seus passos,
Ou tão somente como alguém que se lembra de ti.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 15 de abril de 1995
Abraço!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Motivo

Motivo

     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves



Te amo assim como os pássaros
Amam voar,
Com a sensação de ser livre
Cada vez que escolho
Estar no ninho.

Te amo como um poeta
Que abraça as palavras,
Com a certeza de que elas
Nunca explicarão
A verdade
E a intensidade de um sentimento.

Te amo como um caminho
A ser percorrido,
Maravilhado a cada curva.

Te amo como um segredo
A ser descoberto todos os dias.
Te amo com a alegria do hoje
E a certeza do destino.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 31 de janeiro de 2016
Abraço!





segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Soneto do contraste II

Soneto do contraste II

     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


És vendaval soprando furioso,
Indomável índole de tempestade,
Sentimento bravio, perigoso,
Misteriosa intensidade.

És vulcão espalhando chama,
Incendiando corpos e corações,
Guerreira, mulher que encanta,
Senhora de poemas e canções.

Mas és também bucólica flor,
Leve como brisa no amanhecer,
Cúmplice como esperança para um sonhador.

És doçura infante em seu viver,
Um anjo distribuindo amor
Além do que palavras conseguem dizer.


Daniel Carvalho Gonçalves
escrito em 31 de janeiro de 2016
Abraço!