expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Se Ícaro tivesse asas (II)

Se Ícaro tivesse asas (II)


  Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Se Ícaro tivesse asas,
Seria ele dono do céu,
Poderia, além de sua farsa,
Divagar solto, ao léu.

Se tivesse asas poderosas,
Como um anjo em sacra missão,
Uma lágrima silenciosa
Não desbotaria sua imaginação.

Mas, ai! , o destino, tão incerto,
Deu-lhe o limite duma ilha,
A solidão de viver num deserto:
Essa pena dói e humilha.

Nada resta senão o pranto
E o sonho de fugir para bem longe.
Nada resta senão o santo
Intuito de voar sobre os montes,
E espalhar a cura e o canto
Além das linhas do horizonte.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 20 de julho de 1999
Abraço!

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Se Ìcaro tivesse asas

Se Ìcaro tivesse asas


  Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Quisera que cada verso que escrevi
Fosse, para aqueles que amo, um dia de vida.
Que as palavras que eu não disse, mas senti,
Fossem a panacéia para as suas feridas.

Quisera que os sonhos (muitos!) que perdi
Em busca de minha simples verdade,
Fossem a água ( oh, Deus! , como lhe pedi!)
Que lhes rega a árvore da felicidade.

Quisera que não doesse meu fracasso,
Que não sangrasse meu peito de aço,
Que sua divindade não nascesse da alma

Infante deste poeta, fosse ela vera
Como a inegável poesia da primavera,
Ou como a lágrima que me furta a calma.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 25 de junho de 1999
Abraço!