expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Breve nostalgia

Breve nostalgia


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Queria uma palavra qualquer
Do travesseiro que eu abraçava,
E ele sussurrou-me:
Saudade.

E eu chorei várias saudades:
Dos que se foram para algum lugar
De onde já não podem voltar.

Do meu tempo de criança,
De sonhos inocentes
Sepultados sem perceber.

De amigos que ainda são amigos,
Mas que vivem seus caminhos
Que raramente cruzam-se com os meus.

De amores que ainda habitam
Eternos poemas que escrevi.

De parte de mim que precisou morrer
Para que algum sonho nascesse.
De todas as palavras que eu não disse
Quando deveria ter dito.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 20 de fevereiro de 2017
Abraço!

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Do tempo e da vida

Do tempo e da vida


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Vejo-te ainda
Com a mesma leveza
De outrora,
Com o mesmo encanto
Que eu via o teu riso.

Os anos mudaram muita coisa, 
Mas não mudaram
O jeito embevecido
Com que vejo o teu sorriso,
Algo iluminado,
Nascido da tua alma.

Essa magia me faz melhor,
Purifica meus pensamentos,
Fecunda meus sonhos,
Fortalece minha convicção
Do caminho,
Me ensina,
Um pouco a cada dia,
O significado do amor.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 19 de fevereiro de 2017
Abraço!

Loucura

Loucura


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Quem há de entender o poeta
Quando seu poema é um grito
Rasgando a solidão do seu mundo?

Quem poderá desvendar suas intenções
Quando o seu coração é tempestade
De dores, cores e sentimento?

Cada verso é vendaval incontido,
De incógnitas inspirações,
De caminhos e descaminhos,
De amores indecifráveis
Que nascem e morrem dentro de si,
Às vezes no mais doce dos silêncios.

Quem há de ousar por este orbe estranho,
Domar essa fúria indomável,
Explicar essa estentórea tormenta,
Quando tudo parece paz,
E seus gestos transpiram
Simplicidade?

Haverá quem possa?


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 19 de fevereiro de 2017
Abraço!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Quando o amor não tem explicação

Quando o amor não tem explicação


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Quando eu escrever um poema
E ele te parecer sem nexo,
Pobre talvez,
É porque já não existem palavras
Que traduzam meu infinito amor por ti.

Quando eu cantar uma canção,
Se em minha voz nascer uma lágrima,
E um grito silente e luzidio em meus olhos,
Quero que saiba que isso é o resumo
Do que eu jamais conseguirei te dizer.

Quando eu me embaraçar
Nas poucas rimas tão mal escritas,
E, então, te abraçar
E te beijar, enlouquecido - 
O que quero dizer
É que preciso demais de ti.

Quando eu te parecer distante
(No poeta isso é uma constante),
Perdido em meu próprio mundo,
É porque estou rebuscando a alma
Em busca de alguma coisa
Que te faça entender o quanto te amo.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 15 de dezembro de 1994
Abraço!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Do que provocas em mim

Do que provocas em mim


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Teu cheiro me envolve,
Prende,
Tem magia que entontece, 
Vicia.

Teu riso é uma mistura
De raro encanto:
Coisa de mulher dengosa,
Maliciosa,
Suavidade de menina inocente.

Sigo teus trejeitos, 
Bebendo cada gesto,
Como se deles nascesse
O dom de me fazer viver,
Como se fosses deusa.

Enfim, não componho o poema,
Pois, ele nasce, infante,
Do que provocas em mim.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 05 de fevereiro de 2017
Abraço!

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Por dentro

Por dentro


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Meu coração é um resumo
De tantos eus,
De tantos conflitos
E inúmeras e constantes guerras,
Das vezes em que menti
E de tantas em que mentiram para mim.

Minha alma é a soma
Dos sonhos que tenho
Com os sonhos que perdi,
Da malícia brilhando,
Sutil, em meu olhar,
Da inocência que me ruboriza.

Meu sentimento é forjado
Nas dores e amores que vivi,
No fogo daquilo
Que todo o mundo viu,
E no silêncio
Do que apenas senti,
Um pedaço de mim, bom ou ruim,
Que só eu conheço.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 04 de fevereiro de 2017
Abraço!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Círculo de fogo

Círculo de fogo


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Eu acredito que sou feliz,
Diria, extasiado por causa dos sonhos
Que você plantou em meu caminho,
Por termos vivido tanta coisa juntos.

A vida não seria tão suave
Se não ouvíssemos a mesma canção,
Se não dividíssemos a mesma chama.

A monotonia nos venceria
Se não tivéssemos tanta fé,
A mesma fé,
A mesma esperança no melhor.

Eu sei que não estaria contente
Se não retribuísse o seu sorriso,
Se não abraçasse o seu abraço,
Se não visse as coisas lindas
Que vejo em seus olhos.

Talvez eu nada fosse
Se nós não vencêssemos juntos,
Se não sentíssemos o mesmo amor,
Se não doássemos tanta vida,
O que faz da nossa vida
Um carinho superior
À simples fórmula do amor.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 05 de março de 1992
Abraço!