expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quarta-feira, 28 de junho de 2017

O vencedor

O vencedor


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Vim por caminhos incertos,
Às vezes, na mais densa escuridão,
Tateando, quase parando.

Tropecei em tantas pedras,
Me feri em agudos espinhos,
Estive à beira de desistir.

Mas vi tantas alvoradas,
Maravilhei com a singularidade
De cada amanhecer.

Colhi tantas flores pelos campos,
Me deliciei com o calor de mil abraços,
Senti o sabor da conquista.

O que sou é a soma
De cada derrota, cada vez que fui ao chão,
De cada vez que me levantei,
Cada vez que venci a mim mesmo,
E de cada momento que comemorei
A verdadeira felicidade.


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 24 de junho de 2017
Abraço!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

O avesso de mim

O avesso de mim


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Olhei-me no espelho
E ele me disse:
- "És tão gaio!"
Eu lhe respondi:
- "O que existe de feio ou belo,
Em mim ou qualquer pessoa,
Você não consegue mostrar.

Porque eu sou luz
E escuridão;
Sou multidão festiva
Ou triste solidão.

Eu sou a fé que tudo produz
E a descrença que mata sonhos;
Eu sou rico,
Sou pobre;
Sou indiferença,
Sou amor;
Sou frio,
Sou calor;
Sou o avesso de mim."


Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 10 de junho de 2017
Abraço!

terça-feira, 13 de junho de 2017

Desejo

Desejo


     Foto; Daniel Carvalho Gonçalves


No início os olhos se encontram
Sem muitas intenções,
Mas com a profundidade
Do oceano.

As palavras voam suaves
Como pétalas na primavera,
Pousam em algum canto do coração,
Encantando.

O primeiro toque é divino,
Leve, poético,
Febre embrionária.

Então, o incêndio avança,
Lábios molhados que se envolvem,
Procuram, sedentos,
O sabor do outro.

Mãos resvalam o corpo,
Carentes e carinhosas,
O corpo deseja a posse
E o amor explode,
Gozo dos deuses.

Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 10 de junho de 2017
Abraço!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Longa expectativa

Longa expectativa


     Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ai! Saudade! Dorido fogo ardente,
Febre louca pela mulher distante!
Deusa, como espero tê-la presente
E abraçá-la qual o mais carente infante.

Sei que esta noite parecerá eterna.
Só quem ama sabe o quanto lhe preciso.
Você é meu sonho, minha luz mais terna,
A razão inexorável do meu sorriso.

Deus! Este amor rege a minha vontade;
Ninguém jamais provocou tanta saudade
Nem deixou tanto vazio em sua ausência.

No afã por seu beijo, minha alma festeja,
Já lhe sinto aqui, onde quer que esteja,
E me entrego a você nesta poética inocência.

Daniel Carvalho Gonçalves
Escrito em 31 de dezembro de 1998
Abraço!